Um pouco sobre Código Aberto

Código aberto (ou também, tecnologia aberta) é um modelo tecnológico que promove licenciamento livre para o desenho ou esquematização de um produto. A redistribuição universal deste desenho dá a possibilidade para que qualquer um consulte, examine ou modifique o produto. É uma tecnologia bastante versátil.

Este termo foi popularizado pela Open Source Initiative (OSI) e se difere de um software/programa livre por ‘’não respeitar’’ as liberdades essenciais definidas pela Fundação para Software Livre (Free Software Foundation ou FSF), que são também compartilhadas pelo projecto Debian (grupo de voluntários que o mantém à volta do mundo). Qualquer licença de software livre é também uma licença de código aberto (Open Source).

Enquanto a FSF usa o termo “software livre” em volta de um discurso baseado em questões éticas, liberdade e direito, a OSI usa o termo “código aberto” sob um ponto de vista puramente técnico, evitando questões éticas, propositadamente; daí o facto de não haverem acordos à nível de serviço (Service Level Agreement ou SLA, na maioria dos casos).

Esta nomenclatura e este discurso foram criados pelos fundadores da OSI, com o objectivo de apresentar o software livre à empresas de uma forma mais comercial, evitando o discurso ético.

ALGUMAS GARANTIAS QUE PROGRAMAS COM CÓDIGO ABERTO DEVEM TER:

Distribuição livre: a licença não pode ter nenhum tipo de restrição quanto à venda ou distribuição gratuita.

Código fonte: O programa deve incluir o código fonte e permitir a sua distribuição na forma compilada também. Se o programa não for distribuído com o código fonte, deve haver algum meio de se obter o mesmo, seja via rede ou com custo apenas de reprodução. O código deve ser legível e inteligível por qualquer programador.

Trabalhos Derivados: a licença deve permitir modificações e trabalhos derivados e deve permitir que eles sejam distribuídos sobre os mesmos termos da licença original.

Não-discriminação contra pessoas ou grupos: a licença não pode ser discriminatória contra qualquer pessoa/grupo de pessoas.

Não-discriminação contra áreas de actuação: a licença não deve ter nenhum tipo de restrição para qualquer pessoa usar o programa em um ramo específico de actuação. Ex: não deve proibir que o programa seja usado em uma empresa.

ALGUMAS VANTAGENS

Tecnologias baseadas em código aberto são um óptimo modelo de negócio, não só por permitir o controle mais granular de uma infraestrutura de TI, mas por reduzir custos e servir de solução inovadora e customizada, a certo nível. Outra vantagem é a disseminação de conhecimento de novas tecnologias e a transparência das soluções que podem ser criadas através das mesmas. Garante assistência técnica flexível, pela entidade competente, mais segurança, atendendo a necessidade de uma determinada comunidade.

Para empresas, o custo da aquisição é apenas um dos aspectos a ter em conta; o que realmente interessa é o custo total de propriedade. É uma tecnologia interessante e indispensável.

Aqui na Tiangola, fazemos questão de valorizar as aplicações em código aberto; não apenas para uso interno, mas como também como sugestão sempre que é aplicável como solução para os nossos clientes e parceiros.

0 Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*